RETORNAR ÀS NOTÍCIAS - Suspeitas de desvio de 4.500 milhões na Venezuela envolvem o BES


01-12-2019 18:30h Vários

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos está a investigar dois empresários venezuelanos por suspeitas de um esquema de corrupção no Petróleos da Venezuela (PDVSA) que envolve o Banco Espírito Santo (BES), escreve o Diário de Notícias da Madeira esta quarta-feira.

 

De acordo com o jornal, que cita o El Nacional, os irmãos Luis e Ignacio Oberto estão no centro das suspeitas, que envolvem um alegado desvio de 4.500 milhões de dólares.

As autoridades norte-americana suspeitam, segundo conta o Diário de Notícias da Madeira, que Luis e Ignacio Oberto fizeram fortuna através de empresas fantasma (Violet Advisors S. A. e a Welka Holdings Limited).

Estas empresas terão concedido empréstimos em bolívares à PDVSA à taxa de câmbio preferencial. Semanas depois, escreve o diário, terão sido pagas em dólares ou noutras moedas consideradas fortes.

Segundo escreve o jornal, os funcionários da PDVSA terão transferido o reembolso dos pagamentos através do BES para diferentes contas dos irmãos Oberto. De acordo com as fontes ouvidas, estas transferências terão ocorrido entre 2012 e 2014.

Os pagamentos dos empréstimos terão sido enviados em nome de empresas fantasmas para a Suíça com a ajuda de Charles Henry De Beaumont, banqueiro que trabalhou com a a CBH Compagnie Bancaire Helvetique S. A. em Genebra, aponta o jornal.

De Beaumont também terá ajudados os irmãos Oberto a transferir fundos ilícitos da PDVSA da Suíça para bancos dos Estados Unidos, bem como para contas sediadas nas Caraíbas.

ZAP //

27/11/2019