RETORNAR ÀS NOTÍCIAS - Idade da reforma aumenta para 66 anos e seis meses em 2021


01-02-2020 17:38h Vários

A partir de 2021, a idade legal de acesso à reforma sobe um mês para os 66 anos e seis meses, segundo diploma publicado em Diário da República (DRE).

 

“A idade normal de acesso à pensão de velhice do regime geral de segurança social em 2021, nos termos do disposto no n.º 3 do artigo 20.º do Decreto-Lei n.º 187/2007, de 10 de maio, na sua redação atual, é 66 anos e 6 meses”, lê-se na portaria esta sexta-feira publicada e que produz efeitos a partir de 1 de janeiro de 2020.

A idade normal de acesso à pensão de velhice varia em função da esperança média de vida aos 65 anos de idade, indicador que o Instituto Nacional de Estatística (INE) atualizou em novembro para 19,61 anos. “Assim, considerando que o indicador da esperança média de vida aos 65 anos verificado no triénio 1998-2000 foi de 16,63 anos e no triénio 2017-2019 se fixou nos 19,61 anos, o fator de sustentabilidade aplicável às pensões de velhice iniciadas em 2020 é de 0,8480”, lê-se no DRE.

De acordo com as regras atualmente em vigor, quem se reformar antes da idade que deverá ser fixada para 2021, terá um corte no valor da sua pensão através do fator de sustentabilidade (mecanismo que ajusta a idade da reforma à esperança média de vida) e uma penalização mensal de 0,5% por cada mês antecipado face à idade legal de acesso à reforma ou face à idade pessoal da reforma.

Atualmente estão em vigor normas de acesso à reforma antecipada que permitem a pessoas com carreiras contributivas mais longas reformarem-se sem cortes nas pensões ou apenas com a penalização mensal de 0,5%.

Em 2018, era necessário ter 66 anos e quatro meses para atingir a idade legal de acesso à reforma; em 2019, a idade da reforma passou para os 66 anos e cinco meses; e, em 2010, a idade manteve-se nos 66 anos e cinco meses, recorda o jornal Público.

ZAP // Lusa

31/01/2020